Sentada na Pia

Porque esse poderá ser o último recurso de um pai e uma mãe de primeira viagem na Coreia do Sul…

15 meses, bichos escrotos e pia nova

Ontem, 29 de janeiro, comemoramos os 15 meses da Filhota. Só que o post comemorativo foi engavetado. Relembramos as dores do trabalho de parto e a delícia da peridural enquanto esperávamos para ver o Dr. Yu, o médico da família no hospital que Beatriz nasceu. Tudo começou com uma tosse estranha na terça-feira, e, encurtando a estória, 39.6C após o exame do Dr. Yu. Bronquite, foi o diagnóstico. Uma infecção bacteriana que anda solta pelo ar, e do playdate dela pelo menos 3 crianças já tiveram. Mas ela é guerreira! Na sala de espera do hospital ela batia palmas, brincava com as crianças e com as enfermeiras! Fica doente e não perde o humor! É isso aí, Filhota, xô muvuca! É a minha Garota-Pepino-ino-ino-ino-ino…!

Aliás, os três aqui estão doentes. Eu disse pro Rê que a gente tinha que passar um cordão de isolamento na porta de casa. Ele foi mais preciso, dizendo que precisava de uma bolha de plástico igual no filme do ET, quando os federais chegam prá analisar o coitado! Bingo!

Entre xaropes, antibióticos, antitérmicos, chá e similares, que venha a quarentena no final de semana! DVD e pipoca, só vai faltar o guaraná!

****************************************

Aí que o sonho da pia nova foi concretizado! A Beatriz pode agora sentar em uma pia só dela! O Sentada Na Pia agora pode ser acessado também através de

http://sentadanapia.com

Chique!

E como se não bastasse só isso, fale com a gente através do nosso novo e-mail

sentadanapia@sentadanapia.com

Coisa lianda! Mande sua mensagem, perguntas, críticas, e o que mais você quiser, e a gente responde!

E se você quiser receber as atualizações das aventuras da Beatriz no conforto do seu lar, é só digitar seu e-mail aí no espaço logo abaixo do “Quer receber o Sentada Na Pia por e-mail?” e clicar “SIIIIIIIIIIIIIMMM”!

Ah, lembrei! Você ainda pode acessar o blog através da pia velha (https://sentadanapia.wordpress.com), e o sistema muito esperto faz o redirecionamento. Voilá!

30/04/2010 Posted by | Beatriz, gadgets | 6 Comentários

Nova identidade secreta

E a Bebê-Gerimum deixa suas abóboras de lado para se tornar a

Eco para enfatizar a entrada dramática

Não estou bem certa de quando a transformação aconteceu. Talvez tenha sido a chegada de dois dentões pré-molares há duas semanas, encorpando a cremalheira. Talvez tenha sido a chegada da primavera. Talvez tenha sido a proximidade dos 15 meses. Só sei que de uma hora para outra as refeições da Pequena Gulliver não as são se não houver rodelas e rodelas de pepino para a sinfonia crunch-crunch.

A Garota-Pepino (ino-ino-ino-ino…) vai revelando aos poucos as suas armas e poderes secretos. Além das bisnagas energéticas de hipoglós, um novo aliado vem para aumentar seus super-poderes:

A pílula de energia da Garota-Pepino (ino-ino-ino-ino...)

A Garota-Pepino (ino-ino-ino-ino…) também passa por uma absorção-relâmpago de conhecimento. Talvez um pouco literal demais:

Fome de saber

E, no próximo episódio da GAROOOOOOOTA-PEPIIIIIIINO (ino-ino-ino-ino…), a revelação de sua super-arma-secreta!

28/04/2010 Posted by | Beatriz, diário | 11 Comentários

Beatriz, sua mãe é um relaxo

Filhota, em caso de emergência, máscaras de oxigênio cairão à sua frente; o assento poderá ser usado como bóia, se o pouso forçado for sobre águas; ou ainda, você poderá imprimir esse post e mostrar para a Dona Terapeuta: vai ter salvar uma grana preta!

***********************************************

A última consulta da Beatriz com a pediatra para pesos e medidas foi em agosto do ano passado. Depois disso, só as consultas mega-relâmpago no hospital nos dias de vacina. Vou acompanhando a evolução do peso pelo tanto que meu ciático reclama, e a altura pelas quantidades de calças que vão para o fundo do guarda-roupa todo mês. Para efeitos práticos, Beatriz está com 75cm desde novembro do ano passado. Se eu disser que tem mais, não consigo o bercinho no avião. A altura dela? O bercinho do avião mais um pedaço da perna prá fora dele.

Beatriz, sua mãe é um relaxo…

***********************************************

É tanta coisa que a Beatriz põe na boca que eu não me assusto mais. As chupetas ganham um novo temperinho depois de serem arrastadas por metros na sala, ou esfregadas nas paredes. Aí descubro uma bolacha escondida nos meios dos brinquedos, sabe-se lá por quanto tempo, mas a dita cuja já está descendo guela abaixo. Essa fase oral não vai acabar nunca. E a guerra perdida para sempre. Que venham os anticorpos!

Beatriz, sua mãe é um relaxo…

***********************************************

Dizem os entendidos do mundo infantil que uma criança até dois anos não pode ver mais que DUAS HORAS SEMANAIS de TV. Olha, ferrou. Mesmo se fosse o limite de duas horas diárias a coisa ainda ficava bem feia. Então eu faço um convite aos entendidos: mudem-se para um outro país, pairem um bebê, passem 24 horas por dia/7 dias por semana em função do rebento, e depois me digam o quanto de forças vocês têm para passar o dia inteiro cantando, inventando jogos e ainda fazer uma escova básica no cabelo. E daqui a alguns anos eu vejo o estrago… Desculpa, filhota, mas a mamãe USA SIM a TV para poder fazer cocô, lavar a louça, cozinhar e navegar na net. Mas não se preocupe, porque com aqueles 3 minutos diários de CNN você também fica informada!

Beatriz, sua mãe é um relaxo…

***********************************************

Beatriz, sua mãe era MESMO um relaxo… Agora, passa lá na mesa da minha assistente e deixa o chequinho. Próxima consulta? Na semana que vem. Sim, sim, vamos falar sobre o hipoglós! Seja paciente! Tchau, não esquece o chequinho, hein!

27/04/2010 Posted by | colcha de retalhos, dessa água eu não bebo: eu como com farinha | 6 Comentários

O primeiro aniversário

Relaxo total. No primeiro mês é foto toda hora, no segundo a cada duas horas, no sexto uma fotinho por dia, no décimo bate o desespero do “quando foi a última foto, mesmo?”. E depois do primeiro ano… TRÊS MESES prá falar do primeiro aniversário. Feio…

******************************************************************

Comecei a pensar no primeiro aniversário da Beatriz uns seis meses antes de acontecer. Onde fazer, como fazer, o que fazer. Onde fazer foi fácil decidir: em casa mesmo, digo, no playroom do condomínio, onde a mesa de bilhar vira um grande caixote para colocar os presentes e a mesa de ping-pong (oops, tênis de mesa, senão o marido briga 🙂 ) vira mesa do bolo e mesa dos quitutes. E, convenientemente, há um lugar separado com um daqueles brinquedos com túneis e escorregas e pula-pula que eu não sei o nome. Perfait!

O que fazer, o que fazer… A primeira coisa que veio na cabeça foi fazer uma festa junina, ainda que em janeiro. Seria divertido. Posteres nas paredes contando a estória das festas juninas no Brasil, as tradições, as músicas… Tudo muito legal, era só preciso planejamento avançado e trabalho avançado. Aí veio novembro e minha crise colunística, e a idéia voltou para a gaveta de projetos.

Aí veio o Natal, a viagem de Ano Novo, a volta para casa já no final da primeira semana de janeiro e… pronto, três semanas para o aniversário e não tem um nadica de nada pronto. Ferrou. Eu tinha três semanas, um inverno louco e um bebê para decidir cardápio, decoração e convidados.

Resolvi começar pelos convidados. Mandei os convites sem saber o que iria acontecer. Pânico, mas pelo menos uma fase estava concluída.

Decoração. As coisas por aqui são todas de gosto um pouco… duvidoso. Passei uma semana na internet procurando por enfeites, coordenados e afins, e a única coisa que eu achava eram kits de primeiro aniversário que, quando montados, mais pareciam um altar de velório. Uma coisa cheia de flores, porta-retratos de todos os tamanhos, sei lá, difícil até de explicar. Era um misto de altar budista para velório e altar de oferendas para o  Ano Novo Lunar. Odiei tudo. Procurei, procurei, procurei… Até uma toalha de mesa com um passarinho chorando eu achei. Pânico novamente. Duas semanas da festa e eu não tinha a menor idéia de como decorar o salão. Faltando uma semana antes da festa, fomos ao Namdaemun para procurar os enfeites. Saí de lá com uma sacola cheia de bexigas (balões para quem não é de SP!) e umas sacolinhas plásticas para montar os goody bags. Ah, esses goody bags… Nunca imaginei que montar uma sacolinha de lembrança de aniversário fosse tão complicado. Como tem tranqueira nesse mundo infantil, Nossa Senhora!

Montar o cardápio não foi tão complicado. O complicado foi calcular o quanto de comida fazer. Sim, por aqui não tem serviço de buffet da forma como temos no Brasil, e os que existem também são… duvidosos. Eles não são ruins, mas sempre que comi deles eu saí com aquela sensação de “não valeram as calorias ingeridas”. Então a única saída era fazer tudo. Resolvi fazer fricassé de frango, quibe de bandeja, sanduíches de lombo de porco, pastéis, cuscuz, maionese, salada verde, patê de atum e hommus. Queijos e frios, nachos e chips para beliscar. Pânico.

Comecei uma semana antes. No domingo anterior ao aniversário já tinha fricassé de frango e quibe de bandeja no freezer. Na quinta-feira o lombo e o cuscuz estavam prontos, e na sexta a Valéria passou a tarde comigo fechando pastéis. Ainda tem alguma impressão digital perdida pela cozinha… Haja dedo!

Sábado foi o dia das compras de última hora, daquilo que não dava para esperar. Eu tinha mil planos para o dia, mas da sexta para o sábado a Beatriz resolve acordar gritando às 2 da manhã: coloco a mão nela e sinto um febrão. Chamo o Rê para me ajudar com os remédios, e ao invés de ele seguir para o quarto da Beatriz ele para no banheiro para vomitar. Febre também. Ai, Jisuis. Duas da manhã, marido e filha doentes, e eu já pensando como fazer para avisar todos os convidados que a festa estava cancelada. O melhor era esperar até o dia raiar para poder ver o estrago familiar à luz da manhã.

Beatriz acordou bem, com uma febrinha leve. Dente maledeto. Marido acordou mal, ainda estragado, fraco e sem fome. Às duas da tarde ele parece melhor, e a gente resolve sair para as tais compras de última hora. Fomos ao Costco, compramos o que tinha que comprar e voamos de volta para casa para poder adiantar o máximo que pudesse para o domingo. Eis que estávamos a 2 minutos da nossa casa quando uma ajumma resolve bater no nosso carro. E aqui na Coreia funciona assim: bateu, ficou. Não se move um dedo do lugar até que o seguro chegue. 28 de janeiro, um frio desgramento, uma criança com fome, zilhões de coisas para fazer, e nós parados no meio da avenida travando o tráfego. Só me restava chorar, e depois pegar um táxi.

Ok, fast forward para o domingo de manhã. Loucura de verão, nem a liquidação DIC era tão movimentada quando o nosso apartamento. E quem tem amigos nunca morre pagão. Tivemos muita ajuda dos amigos! A Cris que fez os brigadeiros e decorou o salão para nós; a cumadi Roseli que fez os beijinhos (o hit parade da festa!) e um antipasto de berinjela, e arregaçou as mangas aqui em casa; a Valéria que, além de perder as digitais fechando pastéis, também veio carregar pedra no domingo; a Luany e a Camila, que ajudaram com a árvore dos recados; a Patrícia, que fez O bolo – maravilhoso – com cara de palhaço; o camarada Leone que não deixou o Renato desmaiar sozinho enchendo bexigas.

Ah, sim! A festa? Foi ótima! Todo mundo adorou! E a Beatriz, ao contrário do que eu pensava, adorou também! Não chorou, e ficou em êxtase na hora dos parabéns!

Clássica

Rave

Sporcaccio

Xodó

Capote

ET

26/04/2010 Posted by | Beatriz, fotinhas | 9 Comentários

Vote na Mãe com SangueNoZóio

Pausa para um café. Mas traz também um Engov, um Epocler e um Isordil.

A Roberta botou a peixeira no meio dos dentes e escreveu tudo o que eu queria ter escrito sobre o assunto. Aliás, me pôs a par do que está para acontecer. Obrigada pelo heads-up, Roberta!

Trata-se do Projeto de Lei # 518/09, batizado de Lei Ficha Limpa, que está atualmente tramitando no Congresso Nacional. Eu, como boa alienada política que sou, não tinha a menor noção do que era. Pois bem. O tal projeto regulamentará novos critérios de ineligibilidade no processo eleitoral. Em poucas palavras, todo cidadão que quiser se candidatar a cargos públicos precisa ser um bom(a) moço(a). Parece chover no molhado, mas hoje (eu também não sabia) QUALQUER PESSOA pode se candidatar para um cargo público: eu, você, assaltantes de banco, assassinos, políticos corruptos, traficantes e por aí vai.

E aí a gente tem que fazer a nossa parte. Divulgando, assinando e fazendo parte da campanha, botando a boca no mundo!

Para assinar a petição, vá no site da ONG mundial AVAAZ (clique neste link que já vai direto para a petição). Não leva mais que 30 segundos. Clique djá!

Maiores informações no site do Movimento Contra Corrupção Eleitoral – MCCE.

E se você tem aquela lista de distribuição gigante que você manda piadas e mensagens em Powerpoint todo dia, gaste alguns minutinhos para divulgar a campanha!

Todos as mães e pais com SANGUENOZÓIO deste Brasil varonil agradecem!

21/04/2010 Posted by | Nota 10! | 3 Comentários

Tiny Planets

Dentre todos os desenhos chatonildos prá mais de metro que a Beatriz assiste, todos cheios de atos politicamente corretos, há alguns que ainda se salvam e são apenas… desenhos!

Bing and Bong

E Tiny Planets é um destes, que é impossível não parar para assistir. Ela adora, e eu também!

20/04/2010 Posted by | Beatriz, desenhos, fosfosol | 4 Comentários

Le menu du jour, de Beatriz

queijo

arroz

cenoura crua

mixirica

hipoglós

sabonete

Post em homenagem ao dia em que ela comeu sozinha, levando todas as colheradas de comida à boca, sem sporcaccio pelo chão! Parabéns, Filhota! Fez a mamãe chorar de novo!

PS: o cardápio acima mencionado é real, sem por nem tirar nada. Se depender da Beatriz, ela só come isso. E ultimamente, é tudo o que ela come… 😦

PS: a mãe é chapada do côco, mas não é (ainda) lesa. O hipoglós e o sabonete não fazem parte do PF da troglô!

19/04/2010 Posted by | Beatriz | 4 Comentários

Vrum, vruummmm !!!

Sai da frente, adjoshi !!!

14/04/2010 Posted by | Beatriz, fotinhas | 5 Comentários

Ah, Uh!

E a mamadeira continua firme, forte, e ao som de Perez Prado:

Não, não tem filminho da mãe desparafusada se chacoalhando junto com a mamadeira. Quem sabe, algum dia, em um momento de insanidade…

06/04/2010 Posted by | Beatriz, trilha sonora | 8 Comentários

Páscoa coreana

Essa foi a segunda Páscoa da Beatriz, e novamente sem chocolate! Ela, por enquanto, não curte doces. Ontem eu até tentei dar um pedaço de brownie para ela, mas não rolou. Aliás, rolou. No chão.

Os ovos de Páscoa fazem parte da tradição coreana, mas não os de chocolate. São os ovos de galinha, mesmo, cozidos e pintados, e que podem ser presenteados ou escondidos pela casa ou jardim para a Caça aos Ovos. Exatamente como fazem os americanos.

A Pequena ainda não anda, então colocá-la na brincadeira do egg hunting seria bem selvagem. Mas ela ganhou seus ovinhos, que estarão imortalizados neste post porque eu não quero transformá-los em ovos centenários.

Presente do staff do Hillside

Presente das madres da igreja, e diz "Feliz Páscoa" em coreano

Ainda teve presente da Tia Valéria e da Cami, cujo conteúdo já foi parcialmente abduzido pelo genitor da Beatriz:

Geléia de Mocotó Embasa! E a mãe fica com o copo!

E o nosso presente: um passeio ao aquário!

Oi Dori! Eu sou a Beatriz!

O chocolate fica pro ano que vem, Filhota. Comer chocolate e coçar, é só começar…

05/04/2010 Posted by | Beatriz, diário, fotinhas | 8 Comentários