Sentada na Pia

Porque esse poderá ser o último recurso de um pai e uma mãe de primeira viagem na Coreia do Sul…

Balanço dos 8

8 meses de Filhota. Não sei o por quê, mas me fizeram parar para pensar em um monte de coisas diferentes.

No fim de semana estávamos eu e o Renato conversando sobre isso. Eu comentei sobre como a Beatriz estava exponencialmente fazendo coisas novas, e que em alguns dias ela JÁ completaria 8 meses. Ele me disse que não achava que tinha passado rápido demais ou devagar demais, mas que tinha passado o tempo “certo” (papo louco esse!), mas que para mim deveria ser diferente, já que eu passo o tempo todo com ela.

Bom, eu não sei mensurar. Às vezes paro e penso como passou rápido. Às vezes, como está passando devagar. Independente da velocidade, foi assustadoramente assustador pensar que há 8 meses eu troco fraldas todos os dias, que eu amamento diariamente, que eu não consigo ter uma noite de sono completa e que acordo pelo menos duas vezes durante a madrugada, que escuto um bebê chorar por motivos diversos (e antes não identificados) todos os dias. Pensando nesses números eu até tive falta de ar. Mas a verdade é que nada disso tem muito peso.

Muitas mães dizem que a gente se esquece das coisas pelas quais passamos, mas acho que não é o caso (ainda mais no meu, que está tudo registrado, e apesar de que comecei o diário a partir do segundo mês da Beatriz, eu tenho um diário com horários de cada respirada que ela deu, desde que chegamos em casa por um mês). Sim, dá vontade de arrancar os cabelos e se jogar da janela às vezes. Mas ver cada lágrima, cada gota de suor, cada larica por açúcar, cada cabelo contribuindo por ralos entupidos, cada noite mal dormida – tudo – sendo transformado em um bebê FELIZ é tudo o que eu gostaria que acontecesse. Poder usar os cinco sentidos para confirmar o fruto do nosso trabalho não tem preço.

Aos poucos vou retomando meus outros papéis na vida. Chegou o momento de colocar o papel de mãe no lugar reservado para ele, ao lado dos outros. Ele ainda ocupa a cadeira VIP, mas a mulher que gosta de fazer as unhas todas as semanas, a esposa, a profissional que precisa de reciclagem, a devoradora de livros, a blogueira do Iacobus, a apaixonada por cozinha, a “malhadora”, entre tantas outras Selmas, precisam voltar à tona. Lentamente isso vem acontecendo. Há duas semanas eu saí com algumas amigas para um jantar; consegui terminar um livro que não falava sobre bebês e seus cocôs; decidi retomar o Iacobus; tento cozinhar algo diferente todas as noites. E sei que quanto mais fizer, mais papéis adormecidos acordarão.

Muito bom saber (e sentir) que tudo se encaixa.

30/09/2009 Posted by | colcha de retalhos | 12 Comentários

8

Tô a fim de fazer uma coisa maior legal!

Tô a fim de fazer uma coisa maior legal!

Vem aqui, tampa fujona!

Vem aqui, tampa fujona!

Arrá! Te peguei!

Arrá! Te peguei!

Por onde eu começo... Deixa eu ver...

Por onde eu começo... Deixa eu ver...

Quem sabe por aqui... Nhoc nhoc nhoc...

Quem sabe por aqui... Nhoc nhoc nhoc...

Não, acho que deste lado tá melhor... Nhoc nhoc nhoc...

Não, acho que deste lado tá melhor... Nhoc nhoc nhoc...

Puá! Mas que pucaria!

Puá! Mas que pucaria!

Feliz mesversário, filhinha querida!

29/09/2009 Posted by | Beatriz, diário, fotinhas | 7 Comentários

Futuro próximo

Há algum tempo recebi esse vídeo do amigo Jenf. Ele me disse que poderia não ser o caso da Beatriz, mas eu deveria me preparar. Pois bem, eu tenho a impressão de que VAI SER o caso da Beatriz:

E ela fala, como fala. O dia inteiro!

Ela começou a falar eta. Eta prá cá, eta prá lá. Seria borboleta? Pode ser, porque ela JÁ SABE o que é borboleta. Se eu falo borboleta, ela procura até achar a sua borboletinha.

E hoje pela manhã disse papapá, pela primeira vez. Esse fonema do pa não é fácil! E na hora do café-da-manhã ela soltou um grito a-mã!. Opa, fonemas nasais, já?

Tô besta até agora!

23/09/2009 Posted by | Beatriz, diário | 8 Comentários

Ainda resfriada, e mais dentes chegando

Este é o sétimo dia do resfriado da Pequena, e me parece que bebês podem ficar resfriados até 10 dias. Vou controlando a temperatura (o que ela adora, porque compramos um forehead thermometer e ela acha o máximo quando o passo na testa dela!) e até agora nada de febre.

Ela está na fase de expulsão demoníaca do muco nasal. Ainda bem que está clarinho, sem aquele amarelado preocupante que poderia avisar que é uma gripe. E para ajudar, voltou ao teething, agora sofrendo com os dentes de cima. Morde tudo o que vê pela frente, inclusive meus dedos, colocando em treinamento os dentinhos de baixo. Não é divertido. E baba, baba muito. Perde água com a coriza, e água com a babeira louca. É o dia inteiro tentando repor os líquidos perdidos.

Com isso, Beatriz está chatinha. Amuada, só quer ficar encostada em mim, olhando pro nada, de vez em quando pegando um brinquedinho. Come se for algo fresco e ralinho. Comida desce mal, mas ainda sim engole umas colheradas sem muita animação.

Hoje sairemos para uma volta e picnic. Quem sabe ela se anima em comer um pouquinho mais!

19/09/2009 Posted by | Beatriz, diário | 12 Comentários

Beatriz, Elefantastico e Kung-Fu Panda

Só alegria, mesmo com o resfriado:

15/09/2009 Posted by | Beatriz, filminhos | 6 Comentários

O bebê-anjo

A noite com a Beatriz não foi muito fácil, mas muito melhor do que eu pensava. Ela acordou de duas em duas horas, com o nariz completamente entupido, e visivelmente com sede por causa de toda a coriza e por dormir com a boca aberta.

Às 10 da noite ela acordou pela primeira vez. Fiz a besteira de deitá-la na cama para mamar, o que obviamente não deu certo e abriu o berreiro de fome, sede, frustração ou sei lá mais o quê. Fui usar o aspirador nasal – que ela ODEIA, por sinal – e o choro aumentou. Aí era aquela coisa de aspirar o muco e ela produzir o triplo chorando. Levei-a para o nosso quarto, me encostei na cabeceira da cama e coloquei-a deitada de costas em cima de mim, com a cabeça inclinada. E assim ficamos o Rê e eu até que ela se acalmasse. Quando ficou calminha, começou a brincar, a cantar, a falar, até que pegou no sono. Isso já eram 11 e tralalá da noite. Dormiu sem mamar.

À 1 da manhã acordou de novo, falando tagarelamente com as paredes. Eu tinha que pensar rápido no que fazer para que ela não abrisse o berreiro como às 10 da noite. Peguei-a no colo, deixei-a um pouco em pé para respirar, e a coloquei no colo quase sentada para mamar. Deu certo, e ela mamou bastante até dormir novamente. Ufa…

E assim foi às 3 e às 5 da manhã. Até que finalmente acordou às 8, para minha felicidade, porque a mente já estava preparada para o dia começar às 5. Ufa de novo…

O nariz está bastante congestionado, o apetite reduzido, mas ainda assim aceitou bem as papinhas nas refeições. Voltou a mamar bastante, por causa da sede. Mas brinca, fala e se diverte como se não tivesse nada! Só chora quando eu chego perto para aspirar o nariz. Chora não, briga. Solta uns DADADÁS tão altos e bravos que dá até medo de saber o que eles significam!

Essa criança é um anjo mesmo!

14/09/2009 Posted by | Beatriz, diário | 5 Comentários

Demorou, mas chegou…

… o dia em que a Beatriz ficou doente pela primeira vez.

Pegou um resfriado daqueles. Espirros, coriza, nariz entupido, falta de apetite… Mas apesar de tudo, passou loucona de marré-marré-marré, bagunçando até não poder mais! Até doente ela é boazinha!

O duro foi o momento de dormir. Tivemos que elevar o colchão para que ela conseguisse respirar. Acho que deu certo. Mas a noite que está só começando é quem dirá…

13/09/2009 Posted by | Beatriz, diário | 2 Comentários

O desmame

As refeições da Dna. Beatriz Maricota estão muito bem, obrigada! O começo à base de tropeços e inapetência foi substituido por um bocão voraz e ávido por novos sabores. Thanks God…

Ela come de quase tudo. Não curtiu cenoura, batata e batata-doce. A cenoura foi por causa do gosto, já a batata… Bem, acho que a mamãe dela não soube prepará-la numa consistência que a agradasse. De volta à prancheta!

O que tive que fazer foi sair do beabá purê-de-uma-coisa-só e já partir para comidinhas elaboradas, o que foi crucial para que ela começasse a comer muito bem. E depois, introduzi ervas (orégano, manjericão, salsinha, salsão) e condimentos (cúrcuma, cominho). Sucesso absoluto!

Bom, e assim caminhamos com o desmame. As mamadas estão menos frequentes, e há vezes em que eu ofereço e ela não quer. Outras vezes ela pega mais por sede do que por fome, e essa é a razão que me faz acreditar que ela ainda acorda duas vezes à noite para mamar: sede. Os seios estão bem mais vazios, e a produção de leite anda desequilibrada como no começo. Há dias em que ela pega mais, em outros menos. E fica naquele enche, esvazia, enche, esvazia que requer atenção redobrada para não virar uma mastite fora de hora.

Mas o desmame é mais complexo do que eu imaginava. Eu não contava novamente com o bombardeio hormonal, e manter a cabeça no lugar quando ela vira a cara pro peito é algo que exige muito equilíbrio emocional. Aí falar de equilíbrio emocional para que está prestes a ovular novamente é papo de louco. É preciso repetir o mantra todos nós morreremos e todos os bebês desmamarão para que tudo fique bem e evitar que o processo se escangalhe.

Estou absorvendo a fase do desmame. E aprendendo que tão difícil como o início do ciclo reprodutivo é o fim dele.

12/09/2009 Posted by | Beatriz, colcha de retalhos | 5 Comentários

Outro minestrone

A TPM continua firme e forte. Não provoca ataques hidrofóbicos, mas sim melancólicos da pior espécie.

**********

Perdi 15 minutos na frente do guarda-roupa tentando decidir o que vestir. Tudo o que provei fez com que eu enxergasse a Free Willie no espelho.

**********

Decidi por uma saia e blusa que esconderam os features baleia-orca. E pelo menos fiquei mais “arrumadinha”.

**********

Tirei a minha base da gaveta, lápis prata e rímel. Faixa na cabeça para esconder a moita. Perfume diferente. Só falta O Exorcista.

**********

Frase que ouvi ontem de um colega: Filho é como videogame. A próxima fase é sempre mais difícil. Tá, nem tava precisando ouvir isso.

**********

No domingo, uma ajjuma resolve me falar que eu era velha prá ter um bebê de 7 meses. Também não precisava ouvir isso.

**********

O lado ruim da TPM é que dá vontade de mudar a casa inteira – móveis, gavetas, guarda-roupas. O lado bom da TPM é que dá vontade de mudar a casa inteira – móveis, gavetas, guarda-roupas. Será?

08/09/2009 Posted by | colcha de retalhos, diário | 12 Comentários

Super-cola

Alguém me explica, peloamordoPaiqueestánoCéu, como é que eu faço prá não transformar uma papa com arroz em uma mistura de Super Bonder e Reboquite Quartzolit?

A gororoba ficou tão gororobenta que não vale nem a pena lavar a panela.

07/09/2009 Posted by | perguntar não ofende... | 4 Comentários