Sentada na Pia

Porque esse poderá ser o último recurso de um pai e uma mãe de primeira viagem na Coreia do Sul…

Decepção

Há uma doula coreana aqui em Seul que faz um trabalho muito legal com as expatriadas, pré, durante e pós parto. No pós parto, ela dá assistência e auxilia mães de primeira viagem com dificuldades na amamentação (infelizmente, eu só ouvi falar dela depois dos meus percalços…).

Pois bem: essa mulher gostaria de fazer parte da La Leche League em Seul. Marcou uma entrevista com a responsável. E o papo foi mais ou menos assim:

LLL: Você amamentou por pelo menos 18 meses?

D: Não, amamentei por 9 meses.

LLL: Ah, sinto muito. Não podemos aceitá-la na organização. É contra os nossos princípios.

D: Olha, eu conheço e apoio as diretrizes da OMS, mas eu não amamentei somente por 9 meses porque eu quis desmamar minha filha. Ela desmamou sozinha, perdeu o interesse.

LLL: Não queremos ouvir a sua estória. Se não amamentou por 18 meses, sinto muito.

A doula saiu da LLL zonza, sem rumo, arrasada. Levou o maior calaboca da estória. Cheia de vontade e disponibilidade para ajudar as mães com dificuldades em amamentar, foi barrada porque sua bebê decidiu que não queria mais ser amamentada no peito.

Ouvi essa estória na terça-feira, durante o playdate da Beatriz, vinda de uma amiga que estava em aconselhamento com ela. Eu fiquei boquiaberta com tamanha bestialidade. Até onde pode chegar o extremismo? Como é que uma organização deste porte e importância pode fazer uma coisa dessas com uma voluntária em potencial, doula experiente que só traria coisas enriquecedoras? Então, é tudo uma questão de estatísticas? Receber uma voluntária com 9 meses de amamentação traria a média de amamentação do grupo prá baixo? Ou, qual é? Meu Deus, OUÇAM o que essa mulher tem a falar, OUÇAM sua estória, seus princípios, seus frutos do trabalho!

Até agora estou passada. Perdi o respeito pela organização. A primeira coisa que fiz depois de ouvir a estória foi ficar bem prostituta da vida. A segunda foi me desconectar da comunidade da LLL no orkut. A terceira foi vomitar esse post.

E paro por aqui. Não porque quero, mas porque devo. Outra hora eu volto, mais calma, e continuo o assunto. Assunto que vai dar pano prá manga.

Anúncios

20/08/2009 - Posted by | colcha de retalhos

8 Comentários »

  1. Sabe Selma, hoje eu vejo as coisas de um jeito tão diferente. Não ouso escrever o que realmente penso, pois isso acaba dando mais assunto do que deve.

    Amamentei exclusivamente os 6 meses, sofri pra conseguir amamentar sem sofrer, pois chega um momento que a dor é tanta que qdo chegava hora da Bebedocinha mamar eu entrava em desespero e destampava a chorar.

    Não arrependo, mas muita coisa eu faria diferente.

    Beijos

    Ah, depois vou te ligar e colocar a Bebedocinha pra bater um papo com a Beatriz pra ela contar como se faz pra dormir de dia (de noite tb).

    Comentário por Laura | 20/08/2009 | Responder

  2. Oi Selma !!
    Faz tempo que não apareço por aqui (falta de tempo…Dona Ísis, agora na versão “andante”..não dá uma folguinha). Realmente, esses extremismos são de matar. Já ouvi também absurdos do tipo; Ah..se vc não conseguiu ter o seu filho por parto normal, e sim por casariana, é considerada “menos mãe” do que uma mulher que teve parto normal. Fiquei muito…mas muito irada com essa história. Eu fiz cesariana porque precisei (eu optei por parto normal, mas não foi possível), e não me considero menos mãe por isso. Acho que isso se enquadra bem nessa situação que vc acabou de citar. Portanto, xooooo extremistas !!
    Beijinhos para vc e para a fofucha da Bia !!

    Comentário por Fátima | 20/08/2009 | Responder

  3. Selma,

    pois é…em qualquer lugar do mundo, em qualquer cultura, o ser humano é uma melda, sinto muito.

    Por essa que você escreveu aqui e por outras mais cabeludas e ridículas eu eu já vi e passei na vida, que eu acho que a decisão que eu tomei está certa.

    Tudo que me faz mal eu elimino NA HORA, e pessoas assim eu faço voar rapidinho.

    Nem deixo afetar.

    Uma hora te mando um e-mail contando mais umas coisinhas.

    BJK

    Comentário por Isabel | 20/08/2009 | Responder

  4. É o fim da picada, o pior é que acho que as coisas por aqui não seriam muito diferentes. Essa atitude radical e uma visão absolutamente limitada são irritantes! Agora cá entre nós, acho que sou completamente ao contrário… hehehehe… porque se vou na tal La Leche League para ser aconselhada e descubro que a média de amamentação deveria ser acima de 18 meses, saio correndo sem nem olhar para trás! 😛 Mas nem morta! 9 meses já me deixou nervosa… hahahaha… Besitos

    Comentário por Bianca | 21/08/2009 | Responder

  5. As boas mães empenham-se em fazer o seu melhor para seus filhos e ponto. CHEGA de prisões ditadoras nas questões femininas. Às vezes penso que queimaram apenas os soutiens lá na praça… mas que continuamos reféns de nós mesmas. É necessário, é urgente que nos libertemos de verdade! Cada mãe que cuida bem de seu filho, cuida do seu jeito, com o seu melhor e ponto. (Há campanhas e mais campanhas sobre amamentação, mas pouco sabemos sobre o processo antes dele começar efetivamente. Há mães que não conseguem ou que tem muitas dificuldades em amamentar pois não receberam informações. E muitas ao invés de ajudar, trocar experiências o que fazem? Críticas…) Precisamos mudar nossos comportamentos! Mulheres crescei!! Passei pela experiência da amamentação de forma relativamente tranquila, não tive as temíveis rachaduras. Mas nunca me senti a vontade para amamentar em público (ouvi muita bobagem por conta disto), segui em frente com a minha decisão e nunca deixei de alimentar meu filho, porém fiz prevalecer a minha vontade e direito de fazê-lo com o aconchego e a intimidade importantes para mim. (Admiro de verdade quem o faz em público, mas o que fazer se eu não me sentia a vontade?) Enfim… o mundo é muito grande e há espaço suficiente para sermos as mulheres que somos em paz, tudo que precisamos é que respeitem, é que respeitemos a nossa natureza, as nossas diferenças e boa disposição para aprendermos mais umas com as outras, sem tantas críticas… Amor, respeito e ponto, seremos mais felizes!
    Beijos de luz!

    P.S.: A tal LLL perdeu a oportunidade de ter uma excelente voluntária…

    Comentário por Lu | 21/08/2009 | Responder

  6. Eu li seu post ontem, mas nao consegui achar as palavras para me expressar.. Concordo em genero, numero e grau com a “Lu” . Ja temos muitas intolerancias ( e ignorancias) neste mundo! O respeito é um bom comeco para todos nos!

    Comentário por Natalia | 21/08/2009 | Responder

  7. Essa história já foi super descutida no movimento, mas cada organização tem suas regras, a LLL é antiga, precisa se reciclar.

    Eu contei minha história de amamentação, difícil, com a Bia. Amamentei pouquíssimo e jamais seria aceita na LLL. ainda assim, mesmo depois do desmame sei que minha contribuição ao aleitamento materno no Brasil tem enorme valor.

    Beijos!

    Comentário por Denise Arcoverde | 22/08/2009 | Responder

  8. Oi, Selma, parabéns pelo blog, gostei muito!
    Olha, eu já vi uma discussão em um forum na Internet, nos seguintes termos:
    Mulher X “então, amigas, estou pensando em parar de amamentar…eu sei que fulaninho só tem 1 ano e 10 meses, mas minha mãe adoeceu muito e estou pensando em viajar para vê-la e me despedir (…)
    Mulherada do talibã materno: “que é isso??! não faça isso, amiga!!! 1 ano e 10 meses não são 2 anos, depois vc vai se sentir culpada PRO RESTO DA VIDA, amigaaa!!”
    Depois disso eu até escrevi o “As Mama-Bin Laden e o Terrorismo Cybermaterno”, lá no blog, passa lá quando der.
    Beijo, prazer, vou dar uma vasculhada no seu blog!
    Roberta

    Comentário por piscardeolhos | 31/08/2009 | Responder


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: