Sentada na Pia

Porque esse poderá ser o último recurso de um pai e uma mãe de primeira viagem na Coreia do Sul…

3 Meses!

Mais um mesversário! O tempo passa muito rápido e, como disse a Laura no post anterior, parece que alguém trocou o meu bebê no meio da noite!

Parabéns, filhota querida! Pena que hoje não teve fotinha… Foi muito cocô preso num dia só!

29/04/2009 Posted by | Beatriz, diário | 13 Comentários

Até que enfim!

Mamãe e eu!

Mamãe e eu!

28/04/2009 Posted by | Beatriz, fotinhas | 7 Comentários

Milagre em curso

O milagre dos 3 meses existe mesmo. Amanhã Beatriz comemorará seu 3o. mesversário, e sua aproximação trouxe também tranquilidade aos dias. Ela chora menos, interage mais, apreende tudo e todos. Ontem, no consultório da Dra. Annabel, ela se abriu toda em sorrisos! Claro que a simpatia foi embora quando as vacinas chegaram…

Em 4 semanas nossa filhinha engordou somente 0,5kg. Pode parecer muito para a grande maioria, mas não é muito para ela que nasceu grande e pesadona. Por enquanto não há necessidade de preocupação, porque ela cresceu bastante novamente – foram mais 4 cm, fazendo que nossa Gulliver tenha 65cm aos 3 meses de idade – e o crescimento da cabeça também está de acordo. Se no próximo mês o peso abaixar na curva e também uma das outras medidas, aí sim nos preocuparemos e tomaremos alguma atitude. Para o alto e avante com a amamentação exclusiva, ainda que ela me ponha louquinha da silva!

Hoje tivemos mais um Baby Playdate, e a Beatriz estava toda simpática com todos! É o milagre, definitivamente…

28/04/2009 Posted by | Beatriz, diário | 6 Comentários

Drenando as divinas tetas

Amamentar fica mais fácil a cada dia que passa. Ouvia muito isso no início, e não podia acreditar que fosse verdade. Mas é.

Só tem uma coisa que não é fácil prá mim: saber se a Beatriz mamou tudo o que tinha que mamar. Eu sei que com o passar do tempo os bebês ficam mais eficientes, mamam mais rápido; eu sei que o melhor termômetro é a fralda cheia. Ou a minha coluna cada dia mais dolorida (…). Mas…

Mas essa menina me põe louca! Pega o peito, mama 5 minutos e só. Larga o peito e fica me olhando e dando risada. Ponho prá arrotar, dou um tempinho, volto ela no peito e nada. Se ela pega, é prá brincar. Ou então ela ameaça ânsia de vômito.

Aí eu vejo outros bebês, mamando 15 ou 20 minutos em cada peito. EM CADA PEITO! E a Beatriz só mama 5, quanto muito 10 minutos em um peito só. Isso a cada 2,5 ou 3 horas.

Eu sei, eu sei. Cada bebê é único, os bebês mamam aquilo que eles precisam, o importante é acompanhar o desenvolvimento, etc etc etc. Mas como todo bom descendente de italiano, eu carrego no DNA o manja che te fa bene. Comeu? Então tá feliz.

Amanhã temos consulta com a Dra. Annabel. É o dia em que a minha neura com isso tira folga.

26/04/2009 Posted by | colcha de retalhos | 18 Comentários

De volta à normalidade..

… se é que isso existe!

Beatriz voltou ao ritmo de antes: mama mais tranquilamente, dorme com a sua chupeta (e agora o dedão!) e a ursinha-godê, ri, brinca, brinca, brinca, tem uns cocôs presos durante o dia. E já está toda felizinha brincando com outras pessoas na rua. Ainda bem…

Pelo visto, ela também vai ser uma aficcionada do mundo cibernético. Ela presta uma atenção louca quando estou fazendo algo no laptop, e ela amou as chamadas de vídeo que fizemos no skype! Gostou tanto que encheu meu laptop de chutes… no bom sentido! Hoje ela teve sua primeira incursão no YouTube. Eis o vídeo que ela assistiu inteirinho, com os olhos arregalados:

24/04/2009 Posted by | diário | 3 Comentários

Teje preso!

Te peguei, dedão fujão!

Te peguei, dedão fujão!

24/04/2009 Posted by | Beatriz, fotinhas | 9 Comentários

Trifásica

Diazinho comprido esse. Beatriz ficou acordada das 13:30 às 20:55, com um singelo cochilo de 40 minutos no meio. Depois do banho, não teve chupeta, peito ou colo que a fizesse dormir. O sono ia e vinha, mas não havia sinais de irritabilidade. Acho que definitivamente ela está passando por um pico de desenvolvimento. Hoje ela brincou por muito tempo de barriga para baixo, já ameaçando rolar; começou a imitar as brincadeiras que faço com a boca; e no final do dia achou – finalmente! – o dedão fujão. São muitas coisas novas, e o corpinho dela não deve estar dando conta. Ou pode ser muita energia acumulada, exatamente para suprir as novas descobertas.

Só sei uma coisa: tô podre. Banho e cama. Imediatamente.

22/04/2009 Posted by | Beatriz, diário | 1 Comentário

Sono

O sono deveria ser algo tão natural quanto fazer um xixi. O sono bateu? Então fecha os olhos e dorme. Mas como uma coisa que soa tão simples pode ser tão complicada?

Aprendi com Beatriz que o dormir precisa ser ensinado. Com raras exceções, bebês não conseguem dormir sozinhos. Eles precisam de treinamento, e os pais de muita observação e paciência. E nossa pequena Beatriz se enquadrou na massacrante maioria dos bebês que têm sono mas não sabem como chegar lá. Fechar os olhos não basta, e se eu e o Renato não a ajudarmos, a bichinha não capota nem por decreto.

Então, a gente apela para a pesquisa e leitura dos entendidos e dos fóruns com as vozes da experiência. Problema básico de encontrar teorias e métodos completamente divergentes. Tudo nesse universo bebezístico é oito ou oitenta. Tem teóricos que dizem que o bebê precisa ser acalentado para dormir, SEMPRE; seja no colo, seja no peito porque deixar chorar não é opção. Outros, que dizem que o bebê precisa ser colocado no berço e deixado lá, chorando por tempos determinados, até que ele aprenda que ninguém irá socorrê-lo, e assim ele aprende a dormir; para esses, qualquer pessoa ou objeto que interfira no aprendizado do sono é prejudicial à criança.

Aí tem que entrar o bom senso. Não gosto da idéia de deixar a criança largada no berço, aos berros, e também não gosto da idéia de pais-reféns. E nesse sentido estou na tentativa-e-erro de ensinar a Beatriz a dormir.

Ela tem um padrão bem específico, até o momento. Tira cochilos de 45 minutos a 1 hora, e fica acordada por 1,5 hora. É só contar no relógio: depois de 1 hora e 20 minutos, ela começa a bocejar. Os olhos ficam vermelhos e vidrados, e um choramingo mimimi vem logo em seguida. Eu a pego no colo, vou dizendo baixinho que é hora do soninho enquanto a levo para o quarto, digo para ela dizer tchau ao sol e à luz, enquanto fecho as persianas, deito-a, coloco a chupeta e coloco a “ursinha godê” dela (depois colo fotinhos!). Se ela está meio nervosa, fico com ela um pouquinho passando as mãos nas costas até que ela acalme. Uma vez calminha, ela fecha os olhos e dorme. Ela também sabe a diferença do dia e da noite, e sabe que depois do banho vem o sonão.

É claro que eu tenho que ser flexível. Nos picos de crescimento e de desenvolvimento ela tem outras necessidades, e fica muito mais sensível porque não entende as mudanças no corpinho dela. Então ela pode pedir o peito para dormir, ou mesmo pedir para ser embalada. E às vezes ela quer ficar acordada mais tempo: se os olhinhos estão espertos, eu deixo. Se estão vidrados e ela está lutando com o sono, entro em ação.

Nas duas linhas extremistas de pensamento, usar objetos intermediários está fora de questão. Deixar um bebê sozinho na cama (que absurdo!), com uma chupeta e uma ursinha-godê (outro absurdo!)? Bom, será isso um problema? Tentando seguir um pouquinho da minha ainda crua intuição materna, é preciso achar aquilo que faz o nosso bebê feliz. Beatriz não é feliz sendo ninada prá lá e prá cá, e não é feliz sendo deixada chorando no berço. Mas é muito feliz com sua chupeta e sua ursinha-godê, entrando com eles no mundo dos sonhos.

E pensando bem, eu mesma nunca soube dormir sozinha. Não sei como foi quando eu era pequena, mas eu sempre precisei de um objeto intermediário para dormir. Até hoje. Quando criança, eu tenho lembrança de fazer a minha mãe contar Os Três Porquinhos para eu dormir, isso por anos a fio; na adolescência, eu dormia com dois travesseiros: um deles eu abraçava para dormir. Além do travesseiro, eu não conseguia ir prá cama sem ler um livro. Eles me seguiram até a fase adulta, onde também introduzi a TV. Ok, TV foi uma péssima idéia, já tirei a TV. E não preciso mais do travesseiro também. Mas ler antes de dormir é a minha porta de entrada para o mundo dos sonhos. Hoje, com a Beatriz… bem, ELA é o meu objeto intermediário durante o dia todo! Eu não durmo, eu desmaio.

Segunda-feira foi o primeiro dia após o nascimento da Beatriz em que consegui tirar a tão falada “soneca enquanto ela dorme”. E por uma única razão: estava chovendo. O barulho da chuva me embalou e eu consegui pegar no sono. Do contrário, não tem nada que me faça dormir durante o dia.

Sim, eu sei. Eu preciso dormir enquanto ela dorme. Para mim isso é bem difícil, além de que eu não acho que funcione muito bem na prática…

22/04/2009 Posted by | Beatriz, colcha de retalhos | 7 Comentários

Falando baixinho

Não esperávamos um dia como o de hoje. Beatriz pegou a mamadeira que o Rê ofereceu, e durante o almoço de hoje ela esteve mais sociável do que nunca: riu, brincou, ficou no colo de outras pessoas. Até dormiu sozinha no carrinho no restaurante.

E não teve nenhuma crise de cocô preso.

Melhor falar baixinho…

19/04/2009 Posted by | diário | 6 Comentários

Outro…

… quimoninho!

De quimono e cabelo penteado!

De quimono e cabelo penteado!

18/04/2009 Posted by | Beatriz, fotinhas | 6 Comentários