Sentada na Pia

Porque esse poderá ser o último recurso de um pai e uma mãe de primeira viagem na Coreia do Sul…

Xô, solidão

Dona Carla Marcelli Dumas Damas, amiga de trabalho da GM, Rainha da Pipoca em 1985, membro do conselho do Bengala Azul e atualmente agitando dias e noites em Shanghai, passou a semana passada comigo e com a Beatriz!

Não gostei desta estória, tia...

Não gostei desta estória, tia...

Ah, essa é legal!

Ah, essa é legal!

Passamos uma semana ótima, que voou! Fofocamos, rimos, brincamos um montão com a Beatriz!

A Carlota foi a salvadora da pátria. Repeti isso para ela “n” vezes…

Quando engravidei, eu ouvi muito que eu deveria arrumar alguém para me ajudar, que bebê dá muito trabalho, que tem muita roupa, que tem que fazer comida, blá blá blá. E quando dizia que “não tem tu, vai tu mesmo”, porque ninguém viria do Brasil e eu não estava nem um pouco a fim de passar minha semana com uma filipina desconhecida dentro da minha casa, a grande maioria das pessoas surtava.

Pois hoje eu posso dizer: essa coisa de precisar de ajuda é balela. Com um pouco de planejamento e uma faxineira, dá-se conta de tudo. É claro que bebê dá trabalho, um trabalhão! Mas se resolvemos ter a Beatriz, eu e o Rê queremos cuidá-la da melhor forma possível e não queremos delegar isso para ninguém.

O que não é balela, no entanto, é ter alguém ao lado para manter a mente sã. Alguém que possa contar coisas do mundo exterior, as fofocas, as estórias do passado para rir um pouco. Isso foi o que mais senti falta nesses 40 dias de vida da Beatriz. O ritmo hipnótico e alucinante da rotina, aliado com os altos de baixos hormonais, faz com que qualquer cristão queira se jogar da janela. De solidão.

Ter alguém para dividir as tarefas pode ser bom, mas não é essencial. Ter alguém para lembrar que estamos na direção certa, e que a tempestade um dia passa, isso sim é o importante…

Então, barrigas de plantão, aí vai uma dica desta mãe recém-parida: não se iludam em ter alguém para fazer o trabalho braçal. Aquilo que é da mãe não dá prá delegar. Mas durante alguns dias da semana, tenham alguém para fazer companhia, e lembrar que apesar dos tropeços vocês estão fazendo tudo o que é preciso e mais um pouco.

Carlota, obrigada, obrigada, obrigada. Por todo o bem que você me fez na semana passada. Beijocas no coração! E um cheirinho da Beatriz!

Anúncios

12/03/2009 - Posted by | colcha de retalhos, diário, fotinhas

16 Comentários »

  1. Ola Selma!

    Desde o Gonadotrofina ando acompanhando as suas aventuras com a pequena Beatriz e estou anotando todas as dicas (estou gravida de 4 meses)! As vezes da’ um medinho do que vem por ai, mas com paciência e muito amor, a gente vai se adaptando a nova vida.

    Aqui na França também não tem essa historia de alguém para ajudar… vc é quem faz tudo. No maximo vc contrata uma baba’ ou paga uma creche para ficar com a criança enquanto vc trabalha, mas no resto do tempo sao os pais que cuidam.

    Ninguém melhor que os proprios pais para cuidar da criança.

    Beijos,

    Comentário por | 12/03/2009 | Responder

    • Oi Dé! Parabéns! Curta muito cada momento da sua gravidez, mesmo quando você não consiga entender como e porquê! Rs!
      Aqui na Ásia tem mão-de-obra sobrando, mas na Europa eu sei como é. Vai na raça, mesmo, não tem essa de empregada ou faxineira.
      Volte sempre! Bjs!

      Comentário por Selma | 12/03/2009 | Responder

  2. Eu sou fa incondicional da Carla! A mulher é demais mesmo!! Faz o chao tremer com a sua alegria!
    Selma: eu faco propaganda dos seus blogs pois é incrivel como consegue trascrever tudo e com tanta energia e emocoes!! E vamos combinar: a Betriz é simplemente um luxo!
    Beijos

    Comentário por Natalia | 12/03/2009 | Responder

    • Eh, Natália! Propaganda é bom demais! Rs! Obrigada!
      Olha, a gente botou em dia a conversa de dois anos! Imagina o que a gente falou! Bjs!

      Comentário por Selma | 12/03/2009 | Responder

  3. Quem me dera passar uns dias aí! O que você disse é verdade mesmo. O serviço é fácil. Difícil é estar sem ninguém para papear. Deixa as férias chegarem!!!!!!!!!!

    Comentário por marta | 12/03/2009 | Responder

    • Vem, ora!

      Comentário por Renato | 13/03/2009 | Responder

  4. Os amigos são necessários para deixar a gente sã, sim. Fiquei ‘louca de verdade’ e sozinha, muito sozinha. Não foi fácil para mim.

    Comentário por Alena Cairo | 12/03/2009 | Responder

    • E o mais estranho é que ninguém disse prá gente que isso ia acontecer… Tento imaginar o por quê…

      Comentário por Selma | 13/03/2009 | Responder

  5. Selma concordo plenamente, apesar de ter minha família e amigos por perto sempre, eu cuidei sozinha, com o Júnior é óbvio da Giovana assim que ela nasceu e sempre cuidei da casa também.
    Ninguém dormiu na minha casa e não aceitei palpites de ninguém, claro que conselhos sempre são bons mas temos que deixar claro que a filha é nossa e que a mãe somos nós então, faremos do nosso jeito.
    Muito pelo contrário, acho que eu surtaria se tivesse alguém enfurnado no meu apto. palpitando em tudo.
    Ser mãe de primeira viagem dá trabalho e medo, mas é tão maravilhoso que tudo compensa e no final quando percebemos que podemos dar conta do recado é mais gratificante ainda.
    Cada mãe sabe no fundo no fundo o que é melhor pra seu filho.
    Quando nasce um filho nasce também uma mãe.
    Beijos.

    Comentário por Andréa | 13/03/2009 | Responder

    • A mãe nasce mesmo! Mas meio prematura, eu acho…

      Comentário por Selma | 13/03/2009 | Responder

  6. Selma,
    a solidão pós parto num país distante e logicamente distante de pessoas desconhecidas seria inevitável.
    Colocar pessoas desconhecidas para cuidar da sua filha mesmo no Brasil é dificil, ainda mais aí na Coreia.
    Mas isso te fortalece e também fortalece a relação com a Beatriz.
    Não desanime e lute, pois mesmo eu aqui no Brasil, com o Matheus sendo filho único, sobrinho único e neto único e cheio de mimos e paparicos eu me sentia sozinha.
    Isso é um processo muito pessoal, que depois vem a calmaria.
    Calma que a vida se encarrega de colocar as coisas nos trilhos.
    Milhões de beijos

    Comentário por Isabel | 13/03/2009 | Responder

    • As coisas já estão entrando nos trilhos. Obrigada pelas palavras!

      Comentário por Selma | 25/03/2009 | Responder

  7. Inveja dessa Carla doida…

    Bjs

    Comentário por Lu - Eterna Funcionária da Patroa | 17/03/2009 | Responder

  8. Selma, eu consigo imaginar o tão gostoso que foi ter a Carla por aí. Ela é única!!! Saudades de vocês! Beijão na Carla Doida (ela já te contou a estória dela no Sofitel de Salvador … Carla Perez …???).
    Beijos nas duas,
    Dani

    Comentário por Daniela | 25/03/2009 | Responder

  9. Não acredito! Ela não contou essa de Carla Perez! Mas não me espanta nem um pouco… Rs!

    Comentário por Selma | 25/03/2009 | Responder


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: